Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O lápis que vê

O lápis que vê

27 de Junho, 2019

Zona de conforto: ficar ou não?

Ana Isabel Sampaio

O que é afinal, ou o que são zonas de conforto? Já todos vimos ou ouvimos algumas frases mais ou menos motivacionais sobre este assunto.

Já todos lemos que nada cresce lá e todos consideramos isto verdade, mas será assim tão simples?

Tenho pensado sobre isto e sobre como aceitamos uma serie de conceitos como certos, deixamos que eles nos moldem e nem sequer paramos a pensar muito sobre eles. Andamos sempre a correr de um lado para o outro à procura do que temos de fazer, do que temos de atingir, do que temos de ser (ou parecer neste caso)… Não será isto também um sintoma da insatisfação crónica que se está a apoderar de tudo? Parece que o que temos não chega, queremos sempre mais e nem sequer paramos para pensar nos conhecermos realmente. Eu não sei quanto a vocês, mas eu gosto de conforto. E contra mim falo já que a minha vida toda a minha vida fora fora de zonas de conforto, umas vezes pelas razões certas, outras nem tanto… o que é algo cansativo.

Tem de haver um equilíbrio saudável e consciente de conforto e risco. Quando e em quê devemos nos instalar à sombra da bananeira e quando, sim sair da nossa zona de conforto, não porque sim, mas porque vale a pena, pelo que nos mexe a alma e nos acende a chama, o que nos assusta um bocadinho, mas não tentar nos tira a paz.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.