Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O lápis que vê

O lápis que vê

26 de Julho, 2019

Espelhos - parte X

Ana Isabel Sampaio

Ele foi embora e ela voltou para si. Era o único caminho. O alívio da normalidade. O alívio que vem quando se pode voltar a dar a corda à vida e a música que sai é aquela de sempre. Esse alívio que agora contaminava tudo. Todos os cantos, todas as pedras, todos os sons e todas as cores. Esse alívio que agora tinha cheiro a podre. Porque na verdade, nada poderia voltar a ser como dantes e isso é a pior coisa que pode acontecer a quem decidiu ficar estanque. A inevitabilidade da mudança. E o que borbulhava nas profundezas foi criando momentum.