Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O lápis que vê

O lápis que vê

26 de Junho, 2019

Espelhos - parte II

Ana Isabel Sampaio

Tinha passado muito tempo. Tinha-se desleixado. Tantos anos caíram de repente quando entrou na estrada principal. Aquela sensação de chegar a casa, de calma. A rua comprida, o cheiro a lareira. O silêncio.

Não tinha percebido como tinha acontecido. O tempo tinha passado e as desculpas acumulavam-se e agora, um sentimento de culpa tinha-se apoderado de si. Como se não merecesse essa atenção que recebia. Não achava justo. Tinha sido descuidado e desatento. Tinha-se distraído.

Tudo parecia surreal e as vozes à sua volta pareciam distantes como se tivesse acabado de sofrer uma explosão. Sentia-se assoberbado e ligeiramente maldisposto. Queria que aquele momento acabasse depressa.